Criciúma SC,

Cadastre seu e-mail       Página Inicial    Favoritos    Indique esta página     Divulgue seu ministério!

.

-

Home

Marketing Ministerial

Doações

Fotos

Músicas

Shopping

Sobre nós

Parceiros

Vídeos

Contatos

Artigos

Aulas de música

Cifras

Dança

Destaques

Fórum

Teatro

Técnica vocal

Vida de Adoração

Aprenda Piano

Blueberry

Google Adwords

Loja do Louvor

Artigos

Pregação

Igreja Batista

Goocrente

Musicas Evangelicas

 


Sim, todos os dias!
Às vezes
Não, nunca!


  resultados

 

 

 

 

 

Técnica Vocal - voz, como cantar, afinação, solfejo, canto, técnicas, aula

 

Super dicas aos cantores - vocal !!!
por Toddynho

"Cante com o diafragma": todo mundo que tentou aprender alguma coisa de técnica vocal já deve ter ouvido essa frase antes. A fim de esclarecer algumas concepções incorretas, decidi escrever esse artigo baseado no que eu li por aí.

De qualquer forma, é altamente recomendável fazer aulas de canto!

A primeira coisa que precisamos é de ar. Devido aos nossos hábitos cotidianos, acabamos aprendendo a respirar estufando o peito, ou a respiração torácica, que é descontrolada, gera tensão no pescoço e, se cantarmos usando ela, certamente você ficará rouco depois de uns 15 min de canto...

1) RESPIRAÇÃO

A maneira correta de se respirar é usando a respiração funda, enchendo desde a base dos pulmões até o "topo", usando os músculos abdominais, intercostais e o diafragma. Para praticar essa respiração, se espreguice algumas vezes, deite na cama ou no chão, ponha a mão sobre a barriga e respire de modo que sua barriga suba e desça. Não tente fazê-la subir e descer, deixe que o movimento venha bem de dentro. Não estufe o peito, não faça barulho quando inspirar e nem levante os ombros, e tente não tensionar os músculos do pescoço. Se você sentir que está precisando fazer muita força, ande um pouco e movimente as pernas para relaxar os músculos abdominais. Se eles estiverem tensos, o diafragma não consegue contrair e você perde o "apoio" para o canto. Pratique isso diariamente. O resultado deve ser uma respiração leve, profunda e que pode ser feita com pouco esforço.

Um bom exercício para treinar o diafragma é respirar dessa forma e soltar o ar bem devagar fazendo som de ssssssssssss... Não tensione a garganta nem os músculos faciais quando fizer isso. Seu objetivo deve ser conseguir sustentar o sssss... por pelo menos 30s, o ideal conseguir sustentar por cerca de 60s sem nenhuma falha na intensidade da saída do ar. Obviamente, leva-se muito tempo para conseguir isso.

2) APOIO

Toda vez que você altera o volume, tom ou vogal em que está cantando, a pressão do ar precisa se alterar também. Isso pode parecer um pouco complicado, e é. Felizmente, nós nascemos com reflexos que controlam essas funções perfeitamente.

Entretanto, a maioria das pessoas não confia nos seus reflexos e usa os músculos abdominais para enviar mais ar as pregas vocais do que o necessário (em outras palavras, forçar a voz), especialmente quando cantam mais alto ou mais agudo. Para reter a pressão excessiva de ar, a garganta "fecha", a laringe sobe, as pregas vocais acabam se chocando umas com as outras e o resultado é uma nota de som fraco, desafinada, sem contar que ao fim do dia você estará com a voz rouca.

Quando você inspira corretamente, o seu abdômen é projetado à frente e aplica uma pressão, tentando relaxar novamente. O diafragma deve, então, continuar pressionado o abdômen. Quando relaxado, o ar sai dos pulmões e faz a vibrar as pregas vocais.

Então, o termo "apoio" ou "suporte" em relação ao canto significa que o diafragma está livre para controlar a pressão do ar enviada às pregas vocais.

Para entender melhor o apoio, pense numa mola. Quando você inspira, você comprime uma mola (suas paredes abdominais) que tenta voltar a sua posição normal. Para que isso ocorra, tudo o que você tem que fazer e soltar a mola. O papel do diafragma é controlar a velocidade em que a "mola" volta ao seu estado normal, controlando assim o fluxo de ar. Forçar a voz é nada mais que forçar a "mola" (a saída do ar dos pulmões) a voltar mais rápido à sua posição de descanso que o necessário.

Não tente sentir seu diafragma diretamente. Ele não tem terminações nervosas que permita a você senti-lo. O mesmo vale aos músculos da laringe que controlam o volume e o tom da voz

Para praticar o apoio, respire fundo e cante escalas numa vogal que te agrade (a, e, i, o, u, ...) e procure não forçar a garganta para subir o tom (procure manter os músculos faciais, o maxilar e a língua relaxados o tempo todo). Se você não força a garganta, o diafragma é obrigado a reduzir a pressão do ar e trabalhar junto com a laringe, mantendo a garganta relaxada o tempo todo. Não se preocupe com o som, deixe a voz soar fraca, tremida, engasgar, ..., apenas procure não forçar a garganta. Quando você conseguir fazer isso corretamente (você deverá estar observando também a presença do vibratto natural na sua voz), suba o volume gradativamente, sem forçar a garganta.

Com o passar o tempo, com a prática correta dos vocalizes, você poderá espandir seu alcance (conseguirá cantar notas mais agudas), sua voz ficará melhor (timbre) e você será capaz de até mesmo gritar sem forçar demais a voz..

Toddynho

 

Envie a alguém! Imprima! Discuta no fórum! Informar erro!


 

 

php hit counter

-